A dança entre o Sol e a Lua na Astrologia

O Sol e a Lua são energias que habitam em todos nós, e que representam em Astrologia:

Sol 

Arquétipo masculino

Lua
Arquétipo Feminino
 Identidade/foco   Emoções
 Auto-expressão  Nutrir/cuidar
 Ego  Necessidades
 Autoridade  Proteção
 Reconhecimento Familia
 Vitalidade  Capacidade de receber
Dignidade  Sensibilidade

Atenção – (Neste texto quando se fala de “Tipo Lunar” ou “Tipo Solar” refere-se a arquétipos energéticos, há homens que se vão reconhecer como Lunares e mulheres que se vão reconhecer como Solares)

Apesar de estas energias habitarem em todos nós, a sociedade exige que anulemos o nosso lado lunar (emoções, necessidade de cuidados emocionais), em prole do Solar, orientação para objetivos, obtenção de resultados e reconhecimento. Infelizmente, ainda nos dias de hoje, é muito comum observar um pai (sol) ou uma mãe (lua) a ter atitudes em que anulam emocionalmente o seu filho/a, como por exemplo, “és feia, estás a chorar”, ou “não chores, olha toda a gente a olhar”, ou simplesmente dizer “já passou”…dizer já passou significa que não damos importancia à sua dor, e anulamos qualquer oportunidade à criança de decidir se ainda doi, simplesmente anulamos o sentimento dela e dizemos para não ser piegas.

astrology-painting-sun-moon-zodiac-signsOu seja, independentemente, da dimensão que a criança dê às suas emocoes, mesmo que achemos exagerado, ela é que sabe se doi ou não, e cabe-nos a nós fazer o papel de cuidador, ajudando a criança a lidar com a sua sensibilidade com o máximo de naturalidade. Deixar que se expresse naturalmente, valorizando as suas emoções, dando conforto e dizendo que compreendemos o que sente, e ajudando a mudar o estado sem anular a sensibilidade da criança.

Pois claro, todos nós fomos vitimas deste tipo de abordagens e a maioria de nós ainda fazemos os mesmos erros, infelizmente.

O fato de, desde muito cedo, sentirmos o esmagamento das nossas emoções, o mais óbvio é anularmos a expressão emocional e chamamo-nos a nos mesmos como “lamechas” ou “piegas”, palavras de desvalorização em si mesmas. tendo vergonha da expressão das emocional.

Pois uma criança que vê as suas emoções, esmagadas, desvalorizadas e ridicularizadas, nunca poderá ser um adulto receptivo (lua), ter em conta os outros (lua), afetivo (lua), sensível(lua), empático (lua),dificuldades nos relacionamentos, e assim por em diante.

Nos homens (Sol) este tipo de bloqueio sempre foi mais alimentado (não generalizando), no entanto há muitas mulheres com esta identificação mais solar que lunar. Em contrapartida foram incentivadas as características Solares, pessoas mais direccionados para o exterior (de si),  cumprir objetivos (sol), busca de reconhecimento (sol), expansão do ego (sol), busca de cargos de autoridade (sol), etc.

No entanto cada um destes arquétipos Solar e Lunar, quando assumem relacionamentos mais próximos, atraem o tipo de companheiro/a que se apresenta no seu extremo oposto e complementar. Se for um tipo Solar (focado em si), atrairá um Lunar (em desarmonia e dependente) e vice-versa.

O solar busca fora de si, o preenchimento do seu vazio emocional, e encontra o Lunar, que se dedica totalmente ao outro e preenche os seus vazios, cuida das tarefas de casa, anulando-se e esquecendo-se a si mesmo/a e criando sentimentos no outro de desvalorização por não ser uma pessoa com objetivos de vida, estar sempre a cobrar e a queixar-se de falta de reconhecimento, e estar sempre dependente.

A consequência desta ligação Sol/Lua desarmoniosa, embora sejam opostos complementares e que se atraem, normalmente manifestam-se em extremos conflituosos, para que os princípios sejam integrados e aprendidos pelo outro.

A aprendizagem que se apela a cada um destes arquétipos, Solar e Lunar é, que o tipo Solar (ativo, egocêntrico, vive em função dos seus objetivos) aprenda a resgatar a sua Lua (emoções, capacidade de se nutrir, recetividade, empatia, sensibilidade) tornando-se mais integrado e mais completo.

Em oposição o tipo “Lunar”, em vez de se lamentar, cobrar o tempo que se dedica aos outros anulando-se a si mesmo, deverá aprender um pouco mais a ter objetivos seus na vida (sem ser cuidar dos outros), criar uma vida própria, com os seus gostos, mais individualizada, mais independente e AGIR em função de si mesma.

É  fazendo por si, o que gostaria que os outros fizessem, assim o fato de o tipo “Lunar” que tornará a vida desta pessoa mais preenchida, e irá movimentar-se em ambientes e locais onde se vai sentir valorizada e reconhecida. Nem sempre a busca de valor e reconhecimento tem de vir diretamente das pessoas que achamos certas.

Depois do “Tipo Lunar” estar a preencher-se a si mesmo com objetivos, reconhecer coisas que gosta e caminhar em direcção a elas, irá verificar que já não tem tempo, nem necessidade para se lamentar de falta de reconhecimento, porque estará a direccionar os seus esforços para a “coisa” certa, no sitio certo.

Esperar carinho, reconhecimento, mimos, atenção de quem não tem capacidade de se nutrir a si mesmo (Tipo Solar) é uma tarefa inglória, por esse motivo procura sempre um “Tipo Lunar” para lhe preencher os vazios (e vice-versa)

São 2 extremos opostos complementares que tem mais a aprender um com o outro do que se imagina, em vez de os criticarmos, é importante observarmos como se preenchem e porque agem como agem e logo se soubermos colocar-nos no outro lugar, logo veremos que aprender o melhor da outra energia e equilibrar com a que já tão bem lidamos, surgirá uma nova pessoa mais completa e realizada.

 

 

© All rights reserved, mapaastral.org 2015 (by CristinaJorge)
Imagens retiradas de elephantjournal.com e galacticconnection.com

Veja Também:

Bookmark the permalink.

Deixar uma resposta