Astrologia – Princípios simbólicos da cruz da encarnação

Astrologia – Cruz da Encarnação – Ascendente, Descendente

Ascendente (eu) e Descendente (o outro) – Fundo do céu (emoções inconscientes) e Meio do Céu
Ascendente – representa a Imagem que eu espontaneamente emito, projeto de mim sobre o ambiente. O que liga o ascendente ao descendente é sempre uma questão de relação – eu e os outros.

Descendente – somos nós espelhados na relação, o outro devolve-nos uma imagem de nós. Imagem que o exterior devolve de mim e vê em mim.

Fundo do Céu – alicerces, dimensão lunar subjetiva, cargas emocionais passadas da memória, o que eu não sabemos de nós. Raízes inconscientes, em que dependemos delas para nos sentirmos seguros. O fundo do céu liga-nos ao passado, à nossa linhagem, aos ancestrais.

Meio do céu – Consciência conquistada expressa no mundo

Hemisferios

Eixo vertical– Fundo do Céu/Meio do Céu- eixo de consciência, eu (fundo do céu) Comigo (meio do Céu) o que eu não sei de mim (Fundo do Céu) com o que eu sei de mim e expresso conscientemente no mundo. Eixo vertical, uma relação comigo próprio.

Eixo Horizontal – Ascendente/Descendente – relação horizontal – relação com os outros
Hemisférios

Hemisfério Oriental– esquerdo – o Eu
Hemisfério ocidental – direito – outros

Hemisférios

Hemisfério Diurno – Meio do Céu é posição do sol mais visível no dia, ao meio dia. hemisfério mais consciente. Planetas no hemisfério diurno. Meio do céu, parte visível, exterior, no entanto a qualidade da parte visível depende da solidez de enraizamento representada pelo Fundo do Céu.

Hemisfério Noturno – Fundo do Céu posição mais escondida do sol à meia noite (fundo do céu). Planetas
que estão no hemisfério noturno não estão visíveis, pertencem à noite. Tudo o que se encontra no
hemisfério Noturno (FC) tem a ver com as nossas fundações emocionais. A nossa parte mais invisível,
subjetiva (inconsciente). As Raízes inconscientes que dependem a nossa estabilidade, segurança
emocional.

  • O que liga o ascendente ao descendente é uma questão, sempre, de relação – eu e os outros.
  • O que liga o Fundo do Céu ao Meio do Céu é sempre uma questão de consciência (ou ausência dela).

Todos nós vivemos as relações (eixo Asc-Desc) em função da consciência que já conquistámos. É através da consciência que conquistamos que dinamizamos as relações, é a partir das relações que dinamizamos e expandimos a consciência.

Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta